Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Bowie

by Joana Cordeiro, em 18.01.19

IMG_1631.jpg

Bowie ∙ Estefânia

 

Idade: 1 ano.

O que mais gosta: Adora estar em casa.

 

"Quanto ao nosso gigante gentil, ele nasceu no Algarve, numa criadora a quem já tínhamos ido buscar outro Grand Danois (Sebastião), que apesar de ser cruzado entre um macho grand danois e uma fêmea Cane Corso, tinha muitos dos traços característicos da raça do pai.

 

Dada a nossa intransigência com a compra de animais, o Sebastião foi-nos oferecido pequenino, porque a criadora não o conseguia vender visto que ele tinha uma doença congénita no esófago, que fazia com que regurgitasse tudo o que comia. Foi uma luta constante mas conseguimos dar uma vida muito feliz ao Sebastião, muito para além do período normal de vida para um cão com mega esófago: viveu 7 anos. Morreu no ano passado, em Agosto, 2 meses antes do Bowie nascer. 

 

O Bowie nasceu com um micro olho, que foi removido cirurgicamente para evitar complicações futuras. Quando nasceu, 2 meses depois do falecimento do Sebastião, a criadora questionou-nos se queríamos adoptá-lo, nas mesmas circunstâncias em que adoptámos o Sebastião. Ainda assim, a dor da perda do Sebas era ainda grande, e preferimos aguardar mais alguns meses para voltarmos a ter um cão.

 

Passados 10 meses, depois de já termos encetado contactos com uma associação de resgate de grand danois (DARP – Dogue Alemão Rescue Portugal), visto não querermos comprar um cão, e preferirmos adoptar já um adulto que precisasse de casa, surgiu-nos um grand danois adolescente, com 10 meses, vindo do algarve e com um problema no olho. Coincidência ou destino, era o mesmo que nos tinham sugerido adoptar no ano passado.

 

Ele tinha sido adoptado por uma senhora que agora, por alguma razão, tinha que abdicar dele, e o entregou à DARP. Desta vez, já com o luto do Sebastião feito e com renovada vontade de adoptar um gigante de quatro patas, tratámos de tudo para o receber.

 

Rapidamente percebemos que era um cão diferente daquilo a que estávamos habituados com o Sebastião: o Bowie é muito mais tímido, assustado e menos confiante. Infelizmente, dadas todas estas circunstâncias, suspeitamos que tenha sofrido maus tratos. As primeiras semanas foram complicadas, porque ele vinha com problemas intestinais, diarreia que se suspeitou ser crónica, etc, além das dificuldades de adaptação a uma casa nova e a novas rotinas. Hoje, contudo, está bem de saúde e, apesar de ainda muito tímido e medroso, parece estar a ganhar mais confiaça!"

 

E o vosso Patudo?

 

...

 

Bowie ∙ Estefânia

 

Age: 1 year old.

What he likes the most: He loves to stay at home.

 

"Our gentle giant was born in Algarve, from a breeder to whom we had already got another Great Dane (Sebastião). He is the son of a male Great Dane and a female Cane Corso and has many of the characteristic features of his father's race. 

 

Bowie was born with a micro eye, which was surgically removed to avoid future complications. When he was born, two months after Sebastião's death, the breeder asked us if we wanted to adopt him, as we adopted Sebastião. However, at the time the pain of the loss of the Sebastão was still great, and we preferred to wait a few more months to have a dog again. 

Ten months later, we contacted DARP (Great Dane Rescue Portugal), because we did not want to buy a dog and we preferred to adopt an adult who needed a home, so we found a teenage boy with 10 months, from Algarve and with an eye problem. Coincidence or fate, he was the same dog the breeder had suggested us to adopt the year before. 

 

He had been adopted by a lady who now, for some reason, had to give him up and turned him over to DARP. his time, with Sebastian's mourning done and with renewed willingness to adopt a four-legged giant, we adopted Bowie. 

 

We quickly realized that it was a different dog from what we were used to with Sebastian: Bowie is much more shy, scared and less confident. Unfortunately, given all these circumstances, we suspect he has been ill-treated. The first few weeks were complicated because he came with bowel problems, diarrhoea suspected to be chronic, etc., as well as difficulties adapting to a new home and new routines. Today, however, he is in good health and, although still very timid and fearful, he seems to be gaining more confidence!"

 

And your Pawfriend?


ABOUT THE PROJECT

Like dog, like owner. Telling their stories.

ABOUT ME

 

Portuguese © // Animal lover 

Veterinarian // Storyteller

E-mail: the.pawtrait@gmail.com


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Archive

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D


Recent posts